Buscar
  • Proseg Seguros

Seguros para celular, bolsa, cartão e até Pix: saiba quanto custam e o que cobrem



A volta às ruas, com a redução das medidas de isolamento social por causa da pandemia da Covid-19, fez a procura por seguros para minimizar danos decorrentes de pequenos roubos e furtos — como o seguro bolsa protegida e o seguro cartão — crescerem no Brasil, segundo a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg). Além desses dois objetos tradicionalmente visados pelos bandidos, o celular é outro bem bastante protegido — no país, estima-se, cerca de dez milhões de aparelhos estão segurados. E num tempo em que os dispositivos telefônicos concentram tantas funções — inclusive financeiras —, o mercado olha para eles com atenção e se reinventa. Nos últimos seis meses, começaram a ser comercializados seguros para reaver perdas em manipulações indevidas de aplicativos bancários.


Abaixo, o EXTRA traz, ponto a ponto, informações sobre preços e cobertura desses seguros. Em comum, eles prometem auxiliar as vítimas de sinistros sem muita burocracia: basta apresentar o boletim de ocorrência policial em geral. Mas para garantir o acesso a um bom atendimento e serviço, Luis Reis, presidente da Comissão de Garantia Estendida e Afinidades da FenSeg, orienta:


— Em primeiro lugar, o consumidor deve se assegurar de que empresa que garante o risco é uma seguradora, ou seja, uma entidade autorizada e fiscalizada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), que é o órgão regulador do governo. Dessa forma, ele sempre terá seus direitos protegidos. Deve atentar também para as coberturas que estão sendo oferecidas, a franquia e vigência do seguro (quando inicia e termina a cobertura do risco contratado). Seguro celular


O preço médio do seguro anual gira em torno de 25% do valor do celular, mas varia de acordo com o modelo do equipamento, as coberturas oferecidas e a franquia. As coberturas mais comuns são danos acidentais, roubo e furto e garantia estendida. É importante compreender as distinções para estar consciente de quais coberturas está comprando. Saiba mais:


Danos acidentais - Cobre o reparo de avarias decorrentes de quedas acidentais, imersão em líquidos e, no caso de não ser possível realizar o reparo do bem, o segurado recebe um novo aparelho.


Roubo e furto - O roubo é caracterizado quando a pessoa sofre ameaça física verbal ou uso de força bruta. Já o furto é identificado quando a pessoa não sofre ameaça e só percebe que foi furtada após o fato ter ocorrido. Há dois tipos de furto: furto qualificado — quando há vestígios do crime (por exemplo, se foi feito um rasgo na bolsa ou uma gaveta foi arrombada) — e o furto simples — quando a pessoa não percebe o furto e tampouco encontra vestígios do crime.


Garantia estendida – Como o nome diz, é uma extensão da garantia original oferecida pelo fabricante por um determinado período.


Seguro Bolsa Protegida


O seguro Bolsa Protegida tem a finalidade de reembolsar ao segurado os valores dos itens que estiverem dentro da bolsa em caso de roubo ou furto (simples ou qualificado, a depender da contratação), até o limite pré-estabelecido no contrato de seguro.

O preço pode variar de R$ 5 a R$ 29 por mês, dependendo do capital segurado e dos itens pré-estabelecidos no contrato. A necessidade de apresentação de nota fiscal do que foi roubado, além de boletim de ocorrência relacionando os itens, é definida por cada seguradora.


Seguro Cartão Protegido


O seguro Cartão Protegido tem a finalidade de reembolsar ao segurado os valores gastos no cartão em caso de roubo ou furto (simples ou qualificado, a depender da contratação) e sequestros, respeitando o limite pré-estabelecido no contrato de seguro.

O preço pode variar de R$ 2,50 a R$ 25 por mês, a depender do valor do capital segurado e das coberturas: por exemplo, se inclui somente roubo e furto, roubo, furto, sequestro e acidentes etc. Além do boletim de ocorrência feito, para acionar o seguro é preciso realizar o bloqueio do cartão junto ao banco emissor.


Itaú Unibanco - O Seguro Cartão Protegido cobre prejuízos financeiros decorrentes de saques, compras e transações financeiras realizadas em ambiente físico sob coação. Também assegura alguns itens em caso de roubo ou furto juntamente com o cartão segurado. Para acionar o seguro e solicitar o ressarcimento, é necessário apresentar as notas fiscais de todos os bens roubados em nome do titular do seguro e o boletim de ocorrência. O produto está disponível para contratação a partir de R$ 7,90.


Santander - Tem dois principais blocos de cobertura: uma para utilização indevida do cartão, que cobre compras e saques ocorridos após roubo, furto, perda ou coação; e outra que indeniza o segurado também por itens como carteira, celular ou bolsa roubados durante com o cartão. Um seguro de cobertura mais simples, para cartão universitário, custa R$ 3,49 ao mês e indeniza até R$ 2.500, em caso de compras feitas por bandidos no crédito, e até R$ 1.250, em caso de compras feitas no débito. Além disso, paga R$ 5 mil em caso de morte ou invalidez decorrente de crime.


Seguro Pix


Este produto tem forte apelo de venda, em vista da quantidade de casos em que o cliente é roubado e obrigado a realizar Pix durante o roubo e sequestro. A finalidade desta cobertura, que pode ser contratada junto ou separadamente do seguro do cartão, é reembolsar os gastos indevidos em caso de transações on-line, respeitando o limite pré-estabelecido no contrato de seguro. O tíquete médio fica entre R$ 6 e R$ 7 por mês, mas pode chegar a R$ 30, dependendo das coberturas contratadas.


Bradesco - O Seguro Proteção Digital pode ser acionado em casos de perda, furto simples, furto qualificado ou roubo do dispositivo móvel, e/ou coação sofrida pelo segurado que resultarem em operações indevidas via Pix, TED, DOC, pagamentos de boletos e recarga de crédito em telefonia móvel. A primeira orientação é que o segurado entre em contato com o Fone Fácil Bradesco para fazer todos os cancelamentos necessários e obter orientações sobre a documentação requerida para seguir com o processo de indenização. Além da cobertura de risco, ao contratar o Seguro Proteção Digital, os clientes contam com o serviço de assistência Cyber, que protege contra invasões e ataques digitais, bloqueia acesso de crianças a conteúdos impróprios, otimiza e aumentam a performance do dispositivo, garantindo espaço em nuvem para armazenamento de dados e técnicos para esclarecimento de dúvidas sobre a utilização do dispositivo.


As coberturas são segmentadas por perfil, com prêmios e limites distintos. No Plano Classic, o segurado paga R$ 8,99 por mês e tem direito a uma indenização de até R$ 3.500, no caso do bandido pagar indevidamente boletos e fazer recargas no celular, e de até R$ 20 mil, se o bandido fizer transferências TED, DOC ou Pix. Cada indenização pode ser solicitada duas vezes ao ano, se ocorrerem sinistros. Não há carência, e a cobertura tem início a partir das 24 horas do dia de pagamento.


Fonte: Extra


5 visualizações0 comentário